Our Blog

Voluntariado é uma relação humana, rica e solidária e não uma atividade fria, irracional e impessoal, pois é um hábito do coração, uma virtude cívica, é algo que vem de dentro e faz bem aos outros.
É a oportunidade de fazer amigos, viver novas experiências, conhecer outras realidades.
No voluntariado todos ganham, o voluntário, aquele com quem o voluntário trabalha e a comunidade, pois este doa a sua energia e criatividade mas ganha em troca contacto
humano, convivência com pessoas diferentes, oportunidade de aprender coisas
novas e satisfação ao sentir-se útil.
Um desafio foi lançado a alguns jovens da AJP, célula PVC (Para Viver com Cristo): fazer voluntariado, ajudando na distribuição de alimentos e roupas aos sem-abrigo existentes na cidade do Porto.
Eram 19h30, do dia 12 de Janeiro de 2013, quando o grupo de 12 jovens, no qual eu estava integrada, partiu em direcção à cidade invicta, a fim de cumprir a sua missão.
No caminho, senti que essa noite não era uma noite qualquer, mas sim uma noite muito especial e quanto mais próximos nos encontrávamos do local onde íamos fazer a diferença, mais forte era o sentimento de satisfação e realização em poder ajudar os outros, interagindo com eles directamente.
Por volta das 20h chegamos ao nosso destino. Primeira paragem Batalha, seguida da Avenida dos Aliados, depois Estação de São Bento, Hospital de Santo António e por fim Hospital de São João.
Apesar de ser uma noite chuvosa e fria, aqueles homens e mulheres não desistiam do seu objectivo, obter uma refeição quente e alguma roupa e nós não desistíamos do nosso, ajudá-los a obter o que precisavam.
Em cada sítio onde fizemos paragem, havia sempre aqueles que já nos conheciam e vinham ao nosso encontro trazendo os seus “vizinhos” para que todos ficassem bem.
Era notório o sentimentos de partilha e ajuda entre todos, pois por muito pouco que tivessem distribuíam para que todos ficassem um pouco melhor.
Após a distribuição regressamos à nossa cidade, mas o sentimento de realização, satisfação e dever cumprido reinava dentro de todos.
A realidade que encontrei encaixava em parte naquilo que tinha em mente, mas mesmo assim a realidade foi muito melhor que o pensamento pois mostrou-me ao contrário daquilo que eu pensava, que os sem-abrigo, são pessoas simpáticas, carinhosas, dadas, prontas a partilhar e ajudar todos aqueles que estão na mesma situação, muitos deles pessoas instruídas e cheias de histórias de vida para contar, algumas das quais tive oportunidade e o privilégio de ouvir e cada segundo passado no meio daquelas pessoas era sentido e vivido como se fosse o último.
É depois destas experiências, que sentimos que lembrar aquilo que fizemos é fácil mas esquecer o que obtivemos é difícil para quem o faz de coração.
Partilho assim com todos, a minha experiência de voluntariado, e quem sabe um dia voltar e levar comigo todos aqueles que se sentem chamados a ajudar, como eu me senti, e assim partilhando com eles tudo aquilo que quem me levou partilhou comigo ao incentivar-me a participar.
Juliana Soares

Comments ( 1 )

  • Regina says:

    A minha experiência de voluntariado realizada nos sem abrigo do Porto, foi um gesto tão simples mas ao mesmo tempo tão gratificante. Pois, é fantástico saber que dar um pouco de mim contribuí muito para os outros.
    Foi das experiências que mais me marcaram até hoje.
    Não custa nada … não dói e não temos que pagar nada ao fisco!
    De que estás à espera?

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *