Category: Testemunhos Voluntariado

formação voluntariado passionista barroselas
O Voluntariado Passionista, promovido pela Rosto Solidário, iniciou no passado fim semana de 15 a 17 de novembro em Barroselas, a formação de novos voluntários para o período de 2013/ 2014. Com um programa pré elaborado em absoluta sintonia entre as partes, Rosto Solidário e Passionistas, personificados por Paulo Costa e Brunis Dinis, respetivamente, optou-se pela inovação de começar desta vez com um fim-de-semana, favorecendo assim, desde o primeiro instante, a integração, o conhecimento mútuo e o relacionamento interpessoal, competências tão nobres e deveras importantes para a vida em grupo numa próxima missão.
Após a divulgação atempada, o grupo foi-se constituindo e às 19.30 horas de sexta-feira iam chegando ao Seminário de Barroselas, participantes vindos da Feira, Lourosa, Mozelos, Viana do Castelo, Paredes de Coura, Braga, Barcelos, num total de catorze, ficando assim a pertencer aos dois grupos distintos da Feira e de Barroselas, para as próximas reuniões, já calendarizadas.
O programa elaborado para o fim de semana foi assumindo more

A Missão do Voluntariado Passionista 2013 em Angola contou com dois grupos: um para os Zangos, constituído pelas voluntárias Helena Barbosa, a Fabiana Pais e a Sara Caetano e o grupo de Uíge, constituído pelas voluntárias Teresa Belo e Umbelina Dantas. A caminhada para a Missão 2013 teve início ainda em 2012, com a formação específica, da responsabilidade da ONGD Rosto Solidário assente no carisma e em sintonia com os Missionários Passionistas. Paralelamente as voluntárias cumpriram o requisito de frequentar a Formação da FEC para aprofundar e consolidar conteúdos e temáticas relacionados com o partir e o estar em Missão.
E em julho partiram.
Com um projeto previamente elaborado em conjunto com as duas entidades (a que envia e a que recebe), os grupos foram muito bem acolhidos e facilmente integrados. Das muitas valências que o povo angolano sente carência, sabemos que a Educação é a base de todo o progresso e desenvolvimento. Assim, foi nesta área que os dois grupos estiveram mais em evidência. Formação Humana, Alfabetização, Inglês, Espanhol, Dança, Formação de Formadores (iniciação), Internet, Saúde, Formação de Líderes Juvenis, foram algumas das temáticas que quer o grupo de Zangos, quer o de Uíge abraçaram, com entusiasmo, dedicação e entrega.
Viver em Missão é partilhar cada instante o sentido de estar e servir com todos os que connosco se cruzam, vivem e convivem. E foi neste espírito de partilha que as voluntárias viveram também com a comunidade Passionista local. Visitando as comunidades com os Religiosos, repartindo afetos, dialogando com as pessoas e o simples ESTAR, constituía mais uma forma se sentirem úteis rentabilizando o mais possível o propósito para que foram enviadas.
As voluntárias regressaram nos primeiros dias de setembro, garantindo que, ainda hoje, as imagens, os pensamentos e as recordações surgem em forma de vivências como se a missão ainda não tivesse terminado. O tempo passou demasiado depressa, e há consciência do muito que se poderia ter realizado se agora fosse o início.
As jovens voluntárias sentem uma vontade imensa em VOLTAR, como a única forma de eliminar a frustração que a velocidade do tempo causou nelas.
No final, garantem que quem parte em Missão aprende muito mais do que o que ensina. E têm a certeza de que a Missão nunca acaba para quem a vive com o coração, pois é sempre uma continuidade em cada recomeço.

dora em Angola voluntariado passionista
Desde muito jovem desenvolvi um espírito de voluntariado. Valores como a solidariedade, o altruísmo, a generosidade e a bondade com os que mais precisam estiveram presentes na minha educação. Assim, iniciei o meu percurso de voluntária como catequista na paróquia de Lourosa e mais tarde juntei-me a um grupo de apoio aos sem abrigo, no Porto. Mas o meu sonho ía além fronteiras…
Sempre tive um especial carinho pelo continente africano, por tudo o que ele representa, pelos africanos e a sua alegria de viver, não obstante as inúmeras dificuldades que enfrentam. Por isso, decidi procurar uma organização que trabalhasse em África com voluntários. Depois de alguma procura sem sucesso, surgiu um convite para participar no Grupo de Voluntariado Passionista, em Santa Maria da Feira, o qual aceitei entusiasticamente.
Durante nove meses, este grupo  more

Acredito que o voluntariado nos torna pessoas melhores. É assim, uma revolução silenciosa que começa em cada um que se assume VOLUNTÁRIO, por opção.

Estou convencido que sou, através do voluntariado, aquilo que nunca teria sido se não fosse voluntário. Com os meus defeitos, mas sempre inteiro.

O voluntariado exercita o coração, exercita a nosso Ser. Porque ninguém é sozinho, fechado em si, não basta andar por aí para se SER, para isso é preciso ESTAR com, CRIAR para, FAZER por, SABER para conhecer, e por fim e por princípio, SER.

Os voluntários não são meras peças de “máquinas sociais”. São algo muito mais precioso!

Os voluntários são sementes preciosas que devemos cuidar e fazer florir…
… algum dia darão fruto nas mãos e/ou coração de alguém…


Olá a todos!
Este ano fui uma das “contempladas” pela Rosto Solidário (RS) e pelos Missionários Passionistas a partir em Missão para Angola. Foi uma experiência incrivelmente enriquecedora e foi muito bom conhecer uma nova cultura, apesar de não estar de acordo com algumas tradições que eles têm, mas temos de os respeitar.
 more


“A vida é Missão” é uma frase que me acompanha há já muito tempo, mas que passa a fazer um sentido bem mais claro quando dispomos de tudo o que temos e agarramos em tudo do que dispomos para ser instrumento de um projeto maior que nós.
Partir é sempre deixar muito para trás – por muito que esse muito que deixamos nos acompanhe sempre na forma de quem somos – mas partir em Missão é partir para encontrar muito mais do que aquilo que deixamos, é partir para encontrar noutros mundos, noutros olhares, noutras formas de olhar, quem somos verdadeiramente. more

Pertencer ao Grupo de Acólitos de S. Paulo da Cruz ou ao grupo de Voluntariado Passionista, é fazer parte de uma família com a mesma espiritualidade, seguindo “o chamamento” a uma vida apaixonada em Cristo. Desde muito cedo, e inserida nesta família, aprendi a Ser Passionista e a ver na Paixão de Cristo uma história de amor incondicional, de entrega e de vitória da qual eu queria fazer parte. Através do meu testemunho (de vida) aprendi a dar-me e, nesta entrega, encontrei-me, porque acredito que “É dando-se que se é”.

Mais do que participar em todas as atividades do Grupo, sinto que é este o testemunho que tenho que dar e é este o modelo de vida que quero seguir, através de palavras e obras nas quais a paixão por Cristo esteja presente. No meu dia-a-dia, em África ou onde quer que seja, quero que saibam e sintam que Sou Passionista e que faço parte de uma família com uma espiritualidade muito própria, capaz de mudar o mundo, o meu mundo ou do meu irmão mais próximo…

A Fabiana esteve na Missão Passionista em Angola. E quis partilhar connosco um pouquinho do mundo da Missão. Ora vejam:

Filme do Voluntariado Passionista em Uíge, Angola, 2011: